Potter Heaven

Fato número 1: Héstia Jones e Dédalo Diggle

Fatos Trouxas

É de se notar o minucioso cuidado de J. K. Rowling tem em escrever sobre Harry Potter. Essencialmente os nomes, que em nenhuma circunstancia são escolhidos por acaso. É nesse intuito que venho postar a vocês: Mostrar, a título de curiosidade, os fatos reais por trás dos nomes usados nos personagens do livro. E você reparará junto comigo a coincidência (ou não) da semelhança entre fato e ficção fruto da mente brilhante de Rowling.

Um dos primeiros exemplos é sobre Héstia Jones e Dédalo Diggle. Eles aparecem mais marcantemente no capítulo 3 de Harry Potter e as Relíquias da Morte (as Relíquias daqui pra frente). Os dois são designados guardiões dos Dursley, eles que levarão o que restou da família de Harry em segurança para outro local.
Héstia, na mitologia grega, é filha de Cronos (um dos Titãs, filho do Céu e da Terra) com sua irmã Reia (também uma titã) que além de Héstia, gerou Deméter, Hades, Hera, Posídon e Zeus, segundo a Teogonia (Genealogia dos Deuses) de Hesíodo.

É a deusa grega dos laços familires. Numa rápida análise do aparecimento de Héstia Jones em as Relíquias, fica claro o valor que ela dá justamente a esses laços. Em determinado momento, sentindo o clima de despedida, ela tenta se retirar para que Harry e seus tios se despeçam. Entretanto, a estranha reação de Duda culmina no fato de que o Tio Valter não se importava aonde, no fim das contas, iria Harry. É nesse momento que Héstia se pronuncia:

“(…)
– Mas… certamente o senhor sabe aonde está indo o seu sobrinho, não?
(…)”

Os Dursley apenas responderam que ele iria embora com os da sua laia. Héstia sentiu-se ofendida pelo fato, não somente do insulto, mas pela falta de preocupação e o descaso dos Dursley para com Harry, sendo ele alvo de um vilão tão perigoso e letal como era Voldemort…

No fim, Harry apazigua a situação, e Duda revela um sentimento nunca antes
direcionado a Harry: Compaixão.

Laço familiar.

Efeito da presença de Héstia, não saberei dizer precisamente…

Outro elemento componente é Dédalo Diggle. No grego, Dédalo é um formidável
inventor. Ele construiu o labirinto que aprisionou o Minotauro, na ilha de Creta, a pedido do rei Minos. Entretanto, acabou preso lá dentro junto com seu filho Ícaro. Usando de seus dotes, construiu para os dois asas de penas e cera. Recomendou a Ícaro que não voasse muito perto do sol. Entretanto, vislumbrado com o vôo, Ícaro voou alto demais, o que derreteu suas asas e o fez cair no mar.

Dédalo Diggle faz justamente o papel da pessoa que ajuda na fuga. Demonstra ser
alguém preocupado com detalhes e planejamentos (assim parece, pois vive com um relógio no bolso que anuncia na hora o que deve ser feito…).

Não tenho como afirmar que foi nisso que J. K. Rowling pensou ao nomear tais
personagens em as Relíquias. O fato é que um gênio como o dela certamente buscará motivos mais profundos para inserir nomes, fatos e personagens em suas tramas. Mas que há alguma ligação, é quase inegável.

Até a próxima, prometo mais fatos sobre personagens de dentro e de fora de Harry Potter.


Comentários

Um comentário

Luciana
27 de julho de 2009 às 16:16

Sim. J.K Rowling pensou nos significados dos nomes para criar os personagens e as cenas. Ela é genial. Pensa em tudo.
Gostei muito do artigo.