Potter Heaven

[COLUNA] Fato número 4: Elfos, domésticos ou arqueiros?

Fatos Trouxas

Lembro que na primeira vez que li sobre um elfo-domestico, logo me veio na cabeça outro tipo de elfo. O elfo que li em O Senhor dos Anéis. Entretanto, ainda mais rápido foi desfeita essa imagem ao passo que Rowling descrevia o seu elfo. Algo que fugia totalmente do senso comum criado pela obra de Tolkien. O propósito para tal, mais uma vez, era enriquecer o “caldeirão de histórias”, termo esse cunhado pelo próprio Tolkien a cerca da diversidade de histórias mitológicas criadas ao redor do mundo, por escritores antigos e modernos.

O certo é que o elfo de Rowling em nada se parece com elfos encontrados em suas origens, como na mitologia nórdica e da Europa medieval. Para eles, elfos (ou alfs, alfr) eram seres etéreos, quase divinos, relacionados à luz e ao sol, com uma afinidade invejável com a natureza. Na mitologia escandinava, os elfos eram gênios representantes dos quatro elementos (fogo, vento, terra e água).

Rowling extirpou tais “fundamentos” do que é um elfo ao criar Dobby e outros de sua raça. Os elfos-domésticos tem uma mágica própria, capazes de realizar magias em lugares que um bruxo comum não o conseguiria (como aparatar dentro de Hogwarts por exemplo), e mesmo devem ter uma fisiologia peculiar também, já que se embreagam ao tomar cerveja amantegada, o que não acontece nem com uma criança bruxa. Vestem roupas velhas, já que se as ganhasse, estaria liberto da servidão. Além de terem uma aparência um tanto quanto estranha.

Outra raça de elfo muito conhecida, como citei no começo, foi o da obra de Tolkien. Altos, belos, mágicos e hábeis. Exímios arqueiros e muito sábios, foram de fundamental importância para derrota inicial de Sauron, que acabou esboçando o retorno, por um erro de um Homem. Tolkien discordava de elfos pequeninos, como Shakespeare uma vez mencionou, para ele elfos nunca foram assim.

Outras criaturas que mais podem se aproximar dos fies servidores de seus senhores bruxos são globins e duendes. Geralmente são descritos como pequenos e de aparência não muito agradável… Entretanto são capazes de magia e de realizar desejos, como os Leprechauns na Irlanda. Outro mais próximo de um elfo-domestico são os Zanganitos, presentes na mitologia portuguesa, que vivem em casas humanas, entretanto fazendo o exato oposto das atividades de elfos-domésticos normais: eles bagunçam e desordenam tudo, causando transtornos e aborrecimentos ao dono da casa.

É fácil verificar a riqueza de seres criados ao longo da história nas diferentes mitologias. O fato é que Rowling introduziu outra espécie de elfo neste universo. De forma significativa e definitiva, não deixando ninguém duvidar de que tais seres podem existir no imaginário de diversas outras histórias, com nuances e peculiaridades que só ela consegue dar às suas criações.


Comentários

2 comentários

morgana black
29 de julho de 2009 às 11:34

eu tenho lido as suas colunas aqui no PotterHeaven e devo dizer: são as minhas favoritas, até agora. parabéns pelo trabalho de pesquisa, isso faz juz à obra da Rowling, sem dúvidas.

RafaelArtemis
1 de agosto de 2009 às 0:42

Obrigado Morgana. É muito bom saber que gostou! Isso faz o trabalho valer ainda mais a pena!
Breve novos textos.
Abraços.