Potter Heaven

[COLUNA] Hermione, Bella Swan e o machismo

Caldo de Erumpente

Machismo não é um tema novo, embora seja atual. Recentemente, uma série voltada para o público jovem feminino reeditou o velho roteiro dos contos de fada que exploram a fragilidade feminina. Estamos falando de Crepúsculo, é claro. A série conta a história de amor entre uma garota tímida e um vampiro super-poderoso. Ao criar a personagem Bella, Stephenie Meyer deixou psicólogos em alerta sobre a influência dos ícones da literatura na formação da personalidade juvenil. Do outro lado, temos a bruxa Hermione, personagem da saga Harry Potter, da autoria de J. K. Rowling. Embora não seja protagonista, ela tem papel de destaque no desenrolar da trama. Pensei em confrontar rapidamente as duas personagens e verificar como as autoras desses dois grandes sucessos editoriais tratam suas principais figuras femininas.

Bella Swan, filha de pais divorciados, é uma adolescente reservada. Ao longo da história, demonstra-se frágil e sempre inclinada a sofrer acidentes. Ela cria um forte laço de dependência com o vampiro Edward Cullen, pelo qual declara amor num intervalo curtíssimo de tempo. A garota não poderia viver sem ele. Contrastando com a figura desajeitada de Bella, temos o Edward. Ele acumula um catatau de qualidades: é belo, rico, ágil e forte. É o cara perfeito. Ele preenche cada lacuna dos mais profundos requisitos para príncipe encantado. E é justamente nesse contraste entre Bella e Edward que mora o perigo. Examinando as disparidades entre os dois, enxergamos como a protagonista é uma figura indefesa e necessitada da forte figura patriarcal de Edward. Para ilustrar essa dependência, podemos citar o episódio em que ela foi capaz de pôr a própria vida em risco apenas para ter alucinações com o amado. A autoridade do vampiro sobre a jovem fica expressa, por exemplo, no caso em que ele vandaliza o caminhão da mesma para impossibilitá-la de visitar o amigo Jacob.

Hermione Granger é uma garota que ama bibliotecas. Não faz bem o tipo bonitona, já que têm os cabelos absurdamente cheios e é um tanto dentuça. Apesar de não ser a figura central da série Harry Potter, Hermione tem um papel decisivo na solução dos desafios que surgem ao longo da história, sempre decifrando ou indicando as pistas que levam à solução dos mistérios. Ela tem um talento excepcional na realização de feitiços e tira ótimas notas na escola. Hermione se apaixona pelo amigo e companheiro de aventuras Rony Weasley. Apesar disso, não demonstra dependência à figura do amado. Na verdade, Rony e Harry é que demonstram depender dela em vários momentos da série, tanto no que diz respeito aos trabalhos acadêmicos quanto na realidade prática, quando a bruxa executa feitiços extremamente úteis e muitas vezes desconhecidos dos garotos.

Desde pequenas, as garotas são acostumadas a ouvir histórias em que princesas são resgatadas por príncipes corajosos. É impressionante o alcance que os romances têm na formação dos valores da sociedade. Com base nessa influência, psicólogos têm chamado atenção para o relacionamento entre Bella e Edward, onde há uma dose excessiva de dependência, o que estimularia a formação de relacionamentos amorosos doentios, onde um parceiro não pode viver sem a companhia do outro. Organizações feministas criticaram a maneira como Stephenie Meyer retrata a figura feminina, deixando-a ora dependente de Edward, ora dependente do lobisomem Jacob.

É preciso que estejamos atentos para as mensagens que livros e filmes estão nos transmitindo. Em Os Contos de Beedle, o Bardo, Joanne Rowling tece uma pequena crítica às fábulas trouxas (não-bruxas) em que as mulheres esperam que “alguém lhes devolva o sapatinho perdido”. Segundo ela, as bruxas retratadas nas histórias de Beedle “são muito mais ativas quando se trata de partir em busca da fortuna do que as heroínas dos nossos contos de fadas”. Elas “são mulheres que tomam o destino em suas próprias mãos”, diz a autora. Seria louvável se nós nos espelhássemos em Asha, Altheda, Amata e Babbitty. Ah, e em HERMIONE, é lógico.

Luciana Barbosa
é colunista da PH e Designer Gráfica. Tem um quê de Severo e um bocado de Luna.

Comentários

23 comentários

Paula
1 de setembro de 2009 às 0:32

Por isso que eu adoro a Rowling!! Além das melhores histórias ainda coloca as mulheres como figuras forte que somos!!!rsrsrs

Aretha_Melo
1 de setembro de 2009 às 1:01

E é mesmo. Bella é só defeitos, Edward só qualidades, e o livro fica só nisso.

Ótima coluna.

morrighan
1 de setembro de 2009 às 12:16

poha, que texto digno! Achei muito coerente e muito coeso: disse exatamente o que eu penso sobre Twilight. eu vivo dizendo isso, o quanto a SMeyer escreveu um texto MACHISTA e o quanto a Bella-Sue é o tipo de garota que eu abomino.

viva as Hermiones e Ginnys e Lillys da JK.

parabéns!

Betynha
1 de setembro de 2009 às 13:08

Sério, eu estou emocionada! Emocionada em perceber que não estou sozinha na luta contra Crepúsculo e sua alienação embutida. Amei o texto e a comparação entre as personagens.

E lendo-o, eu só pude me render mais uma vez à maestria da Rowling em nos mostrar que a mulher não precisa ser dependente de um homem para ser e ter o que quiser.

Viva à Mione, que é totalmente inspiradora! *.*

Parabéns, Luciana!

Bruuks
1 de setembro de 2009 às 18:38

Isso é a coisa mais abominavel! Acho que cada um tem que respeitar o gosto do outro, e naum ficar rebaixando a Bella só pq ela é desajeitada e necessita da presença do Edward e do Jacob… qm naum necessita de uma pessoa pra sobreviver? E, além disso, a Bella é uma mulher de pulso, que apesar de ser frágil, toma conta do pai, tomava conta da mãe, sabe cozinhar, limpar a casa, etc. Eu adoro a Hermione, mas acho que vc deviam parar um pouco de criticar Crepusculo só pq é uma história maravilhosa que tá ganhando tantos fãs qnto HP. O nome disso é dor de cotovelo, pq vcs nunca pensaram que uma historia seria melhor que essa. Prontofalei!

Beijos..e, mais uma coisa: publiquem noticias dos atores e das filmagens do filme, ao invés de ficar só criticando outras franquias MARAVILHOSAS.

Mione WoOd
3 de setembro de 2009 às 23:45

Essa violência é o que me assusta, mesmo. Não li Crepúsculo e, sinceramente, nem pretendo.

Como a Aretha falou, são apenas constatações lógicas de acordo com o que é dito em ambas séries – não posso argumentar neste caso, já que realmente não sei nada sobre a personalidade da Bella.

Agora, vocês vêm com sete pedras na mão para jogar em qualquer pessoa que discorde da sua opinião? E depois não entendem porque tanta gente por aí fica brincando com Crepúsculo?

Sério, sério mesmo que vocês não percebem que agindo assim não vão ganhar credibilidade ALGUMA? O que a Lucy fez no artigo foi apresentar argumentos para justificar a visão dela, coisa que fez de maneira impecável.

E vocês? O que tem a dizer? Sem sair ofendendo ninguém, é claro. Quer ser fã de Crepúsculo? Ótimo! Fico feliz que você tenha encontrado coisas boas na história que o justifique.

Agora, vir no meu site – que está no ar há 8 anos com muito trabalho – chamar de dor de cotovelo é um pouco demais. Respeito, por favor.

Lariih
1 de setembro de 2009 às 18:46

Concordo com vc Bruuks! Cada personagem tem as suas qualidades, e isso vai do gosto de cada um! Bella e Hermione são maravilhosas, gosto das duas!

Beijoos!

Fer
1 de setembro de 2009 às 19:38

sei la, mais naum acho qe isso foi um critica mal feita a Crepusculo, naum tem muito sentido essa res qe vc deu , pq no final, a Bella realmente é super dependente de Edward , esse negocio de qe ela cuidava da mae e do pai so prova de como isso tmb é machista, pois prova qe ela so servia pra isso praticamente, sai da escola e naum fazia nada,, nem ficava com os amigos, ia cuidar da mae e do pai qe ja deviam saber cuidar deles mesmos, isso so prova como Meyer quis passar o conceito 'dona de casa1, tanto qe no ulitmo livro Bella tem um filho de Edward (ninguem sabe como, mais td bem)e casa, ou seja, ela passa a vida toda a cuidar e ser dependente de Ed e ainda cuidar de um bebe com 18 anos! Fala serio, muito dona de casaaaaa! Eu ate gst de Crepusculo mais ja ta na hora de os fas verem a verdade.

Lucy (equipe Potter Heaven)
1 de setembro de 2009 às 22:27

Pra começar, agradeço pelos comentários de todos, tanto os discordantes quanto os elogiosos. É assim que a gente constrói o conhecimento: debatendo!

Mas tenho que discordar de Bruuks. Em nenhum momento eu critiquei a maneira como Meyer vê a figura feminina por despeito. Até mesmo pq eu jamais perderia meu tempo tentando reverter o sucesso de uma série só pq ela tá indo quase tão bem qt Harry Potter. A Joanne não me paga por isso (risos).

Qt a Bella ser uma figura de pulso por tomar conta dos pais, limpar a casa e saber cozinhar, Fer respondeu muito bem sobre isso. Faço minhas as suas palavras.

Pra terminar, o objetivo do texto foi despertar uma visão crítica para os ícones da literatura e do cinema que nos são apresentados. Que tal se reparássemos melhor na mensagem que cada autor está nos passando? E daí nós mesmos optaríamos sobre o que é produtivo ou não ler. É esse o recado.

Beijos a todos!

Paati
1 de setembro de 2009 às 22:38

Adorei o texto *-* JK RULES

RafaelArtemis
2 de setembro de 2009 às 0:18

Não li nenhum livro de Meyer, sequer vi o filme. Entretanto o texto foi tão preciso em descrever Hermione que não vejo porque não seria ao descrever Bella.

O que os autores querem transmitir ao estipular tais estereótipos a seus personagens?

É evidente que não se cria uma obra do porte de Crepusculo ao acaso. Muito menos Harry Potter.

Não posso responder com precisao, pois como já disse, nao li o livros nem vi o filme, entretanto, por tudo que já li e vi sobre, não posso deixar de notar a simplicidade da obra de Meyer diante da de Rowling.

Estaria ela tentando embarcar na onda HP? Bem… pra surfar é preciso primeiro conseguir ficar em pé na prancha… e nao vejo, particularmente, o Crepúsculo tomar dimensões grandes o suficiente para isso.

lari
2 de setembro de 2009 às 21:10

bruuks..eu gosto de tw e de hp,mais discordo de vc,dor de cotovelo o caralho porra.
os 2 sao grandes fenomenos,e nenhuma é melhor que a outra,e se veio pra criticar vasa pra comu e sites de tw,é muito foda isso que vcs fazem

Nathalia
3 de setembro de 2009 às 12:15

Concordo com a Bruks…
é mesmo dor de cotovelo e sabe o que mais, eu defendo HP e Crepúsculo da mesma forma pq eu amo os dois.

As meninas, principalmente, gostam de Crepúsculo pq o Edward é um príncipe perfeito, é o sonho de namorado de qualquer menina, não só pq ele é lindo, mas ele é gentil, doce, carinhoso, romântico, é tudo o que uma garota quer!!!

Qual é, nunca terminaram com um namorado e fikaram dias chorando e se lembrando das coisas boas que passaram, pô gente, acorda, Crepúsculo é muito bom, mas vcs tem q perceber q não vai ultrapassar HP, principalmente pelo fato de serem gêneros diferentes e alcançarem públicos diferentes!!!

Aretha_Melo
3 de setembro de 2009 às 23:11

O problema é que Bella Swan não passou dias chorando. Ela passou meses. Ela chegou ao ponto de arriscar a própria vida pra alucinar com ele.

E gente, ninguém disse que Crepúsculo não deve ser lido nem nada.

Que tal argumentar ao invés de dizer que é dor de cotovelo? Achar algo que realmente prove que não, Crepúsculo não passa uma mensagem machista?

Até porque, né… HP com dor de cotovelo de crepúsculo?

Ninguém disse que Crepúsculo vai ultrapassar HP, either. A comparação só veio da comparação do texto, que é MUITO pertinente, mas que não é sobre a qualidade ou o público ou o tamanho da obra, mas sim sobre as mensagens que elas passam em suas personagens femininas. Pronto.

Nathalia S.
10 de outubro de 2009 às 16:02

eu li as duas séries e acho hp infinitamente melhor que tw, respeito muuuito as duas series, mas acho que meyer retrata a figura feminina como dona-de-casa, dependente, e coloca o amor como uma necessidade de dependencia e não como um sentimento puro e nobre, além de tudo, tem pensamentos atrasados sobre família patriarcal (carlisle sendo chefe dela) e trata a vida eterna na terra como a melhor coisa do mundo (tanto que na última página de amanhecer ela retrata os dois como felizes para a eternidade). Isso aí Luciana, nós temos que ser críticas ao que lemos, reconheço que apesar de crepúsculo ser uma leitura realmente legalzinha, não tem as críticas a sociedade que Harry Potter apresenta, como críticas ao ministério e ao preconceito, alem de culto ao amor e a amizade.

lucy (equipe Potter Heaven)
11 de outubro de 2009 às 9:22

É verdade, Nathalia, "crepúsculo cultua a magreza e a extrema beleza". Não tinha atentado pra isso. Mas de fato os danos causados por esse tipo de culto são enormes. Basta a gente dar uma olhadinha em muitos dos nossos jovens que sofrem com o duro estabelecimento do padrão de beleza. Os transtornos causados por não se encaixar nesse estreito hall deixam muita gente sequelada.

Abraço!

Nathalia S.
10 de outubro de 2009 às 16:23

Ah, e outro detalhe, crepúsculo cultua a magreza e a extrema beleza tanto feminina quanto masculina, um contra-argumento que eu nunca seria capaz de escrever com tanta clareza, no site oficial de Rowling: http://www.jkrowling.com/en/ (extra stuff / miscellaneous / for girls only… probably)

Tatiana Moreira
13 de novembro de 2009 às 18:37

Amo Harry Potter, amo Mione e amo Crepúsculo. Mas, acho que Harry Potter é melhor que Crepúsculo porque, afinal, me identifico mais com a Mione :D Corajosa e inteligente.

Grazy
9 de janeiro de 2010 às 14:23

Em alguns pontos vc pode até ter razão, mas vc esqueceu de mencionar os pontos positivos da Bella. Por exemplo…Edward não para de insistir para ele comprar um carro novo pra ela, quer pagar a faculdade dela…ele quer simplismente assumir todos os gastos dela. Mas ela tem pulso firme e quer conseguir suas coisas com o própio esforço, e não dexar q fação as coisas por ela! Sem falar q ela tem MUITA personalidade. Quando ela quer uma coisa, ela nunca desiste daquilo!
Enfin, na minha opinião, Bella não é totalmente dependente de Edward!!!
E Hermione tbm tem muita personalidade e pulso firme.

Ana Paula
25 de fevereiro de 2010 às 22:36

li as duas séries e particularmente prefirro hp. porque? acho crepusculo uma coisa meio fútil, é como se fosse um padrão: uma menina louca e por um homem perfeito e rico, até virar dependente dele. defendo hp porque não é assim. na serie de jk, a autora mostra que seus personagens tem fribra e são corajosos. isso eu admiro muito. enfim: O LIVRO TEM VALORES. não que crepusculo não tenha é logico, mais hp é muito mais respeitado por estar fora desse padrão de “dona de casa” (?) como a fer disse.
só a minha opinião gente, beeeijos!

Ana Paula
25 de fevereiro de 2010 às 22:40

uma das coisas que eu mais achei errado em crepusculo é a bella viver totalmente a edward, nem sai com os amigos, só quer ELE ELE ELE. isso é machista, e eu acho até personagens precisam de uma vida social kk

Fuckmeyer
30 de abril de 2010 às 21:08

@Bruuks: NOSSSAAA ELA SABE COZINHA E LIMPAR A CASA!!! poxa isso faz dela uma mulher forte???Isso descreve muito mais uma mulher submissa do que uma mulher forte. E sobre a dependência Fracamente garota, vê se toma um biotônico pra concertar esse cerébro,a Bella é uma grade retardada mulherzinha que não tem força pra porra nenhuma não tem influência nenhuma e tudo na vida dela se resume a homem, nem aos amigos ela da o valor devido. Hora ela ta com o Jacob ora ela ta com o Edward? Cadê o resto da vida dessa garota? Ela não tem amigos? Não tem Hobbies? Não tem paixões? Não sabe ir até a esquina sem o Edward? Da liçensa….E pelo seu vocabulário nem ler direito você sabe, porque nem se deu ao trabalho de interpretar o texto e saber que a menina escreveu um ótimo e bem fundamentado texto.

Rodrigo Rulka
9 de maio de 2010 às 20:29

Sou apaixonado pela série Harry Potter desde o seu lançamento. Acompanho todas as notícias na internet, na TV, em jornais, revistas, etc. Gostaria de parabenizá-la pela matéria. Ficou muito boa! Um forte abraço,