Potter Heaven

Bruxo da Semana: Severo Snape

Bruxo da semana, Matérias

A série Harry Potter é composta por personagens tão diversos e de atitudes e aparências tão únicas que até mesmo para alguns fãs algo sobre estes personagens delicadamente bem construídos pode escapar. Contudo, numa série onde assuntos como amor e coragem são tratados, fica extremamente difícil ver qual o personagem mais heróico. De um elfo até um gigante, todos os personagens provam o seu valor na série; sejam do time do bem ou do mal; seja cedo ou tarde demais; seja discreta ou indiscretamente. E de modo discreto temos um personagem que prova sua lealdade, inteligência e coragem, além de provar que não precisa ser grifinório para ser um herói. Este personagem é Severo Prince Snape.

Impossível não esquecer aquele olhar fuzilante do Snape ao olhar para o Harry na primeira vez em que se veem, em Pedra Filosofal. E imagine o que deve ter passado em sua cabeça ao ver os olhos de Harry, que por sinal foi a última coisa que ele quis ter visto ao morrer. Os olhos de Lílian, a mulher a qual ele amou durante toda a vida; a mulher pela qual deixou de ser um Comensal após denunciar Lílian e sua família para Voldemort, sem saber que este iria caçá-los; e, depois de mortos, Snape jurou proteger Harry para que a morte de Lílian não tivesse sido em vão. E o fez com muito sucesso, por sinal, fazendo com que ele seja um dos maiores heróis da série, se não o maior de todos.

No decorrer dos sete livros, tudo faz com que o leitor creia e quase afirme que Snape era um espião a favor de Voldemort. Mas de maneira impressionantemente bem trabalhada pelo engenho de J.K. Rowling, enfim sabemos a história do Príncipe Mestiço. As provas que antes muitos acreditavam que mostravam ser impossíveis de ser desacreditadas são desfeitas fazendo com que o leitor que antes sentia repulsa pelo antes Ranhoso tenha uma profunda admiração pelo agora Príncipe Mestiço.

Rowling teceu seus personagens como se pertencessem a uma grande teia. E Snape é apenas um fiapo dessa grande teia e tem enorme importância. Ele foi um dos que mais alteraram a história do Harry como personagem. Cada atitude do personagem foi pensada com muito cuidado e quais consequências traria, e atrevo-me a dizer que esse deve ser esse o segredo para ser um escritor bem sucedido. Mas acima de todos os outros, Rowling teve um cuidado um tanto especial para com o personagem dos cabelos sebosos; ela fez com que a infância de Snape fosse repleta de conflitos entre seus pais; fez também que ele logo se apaixonasse por uma menina que não o ama mais que um amigo; fez com que para suprir essa ausência de carinho, ele se transformasse num Comensal da Morte, oprimindo e sentindo-se superior  às pessoas, já que ele foi oprimido durante sua infância e adolescência; e mesmo depois de entrar para a Ordem da Fênix e começar a lecionar em Hogwarts, Snape continuou oprimindo alunos, mais uma prova de que Snape tinha uma profunda cicatriz quanto a isso. Rowling conseguiu, além de criar uma ficha psicológica de Snape beirando à realidade, fazer com que a história do Príncipe Mestiço interferisse na história de personagens importantíssimos na série, como Dumbledore, Voldemort e Harry.

Pode-se afirmar que foi fielmente preservada essa imagem do Snape nos filmes, mesmo após as mudanças de diretores e roteiristas. Não há ator no mundo que melhor encarne o personagem que o Alan Rickman. Se as falas do Snape nos livros eram desprezíveis, nada melhor que as palavras da boca de Rickman saindo quase sem mudanças de expressão e olhando diretamente nos olhos. Alan Rickman fez com que todos os fãs do mundo inteiro admirassem seu personagem, fez com que ao lerem o livro imaginassem a sua voz, seu olhar e seus gestos. Não há como não esperar que na Parte II de Relíquias da Morte não esperemos uma atuação digna de um prêmio do Bafta ou até mesmo do Oscar.

Tanto no cinema quanto na literatura, Snape é um personagem do qual muitas pessoas se identificam e que faz com que elas tenham um sentimento muito íntimo com o personagem. E neste último filme, os leitores poderão se emocionar mais uma vez com a sua bela história nas telonas e o público que não lê mas apenas acompanha o filme poderá enfim conhecer a história do Príncipe Mestiço.

Guilherme Guerra
adora o Voldemort, detesta a Umbridge e idolatra J.K. Rowling. Espera que a série tenha um grande final neste último filme.

Comentários

6 comentários

P.K
17 de dezembro de 2010 às 20:54

Enquanto todos achavam que Severo era um vilão, na verdade J.K. mostra que ele apenas ajudava Dumbledore e Hogwarts. Acho isso d+

Ywoollyanna
18 de dezembro de 2010 às 4:08

Snape é de longe o melhor personagem criado pela mente de Rowling. Apenas um texto não é suficiente para descrevê-lo, discutir sua história e apreciá-lo. É necessário inúmeras páginas. Entretanto, gostei muito da forma como você abordou as principais questões sobre o Snape :)

Helena sempre Harry Potter
21 de dezembro de 2010 às 11:37

Nossa eu achei demais oq a JK fez com os personagens quando descobri que snape estava mesmo do lado de dumbledore fiquei realmente muito surpresa pq pelo jeito do snape eu nunca diria que ele esteve todo o tempo “ajudando´´ chega até ser estrano em pensar isso de um personagem tão seco de sentimentos como snape por isso fiquei perplexa m descobrir que ele amava Lilian evans!
O ultimo livo da serie foirealmente muito bom só acho que o dobby,edwigens,Alastor,fred,Tonks,Remo,Dumbledore,snape entre outros mortos não deveriam morrer fiquei muito triste com isso!! =´(
E tbm acho que a Jk devia de dar continuidade a saga contando sobre a vida dos nosso personagens depois de adultos e podia até dar um filho ao voldemort querendovinganç com o Harry e dando continuidade aos trbalahos do Voldinho!rsrs
bjos

Caveira
22 de dezembro de 2010 às 0:43

Isso sem contar os cinco livros em que, volta e meia, Snape surge como suspeito de algo terrivelmente ruim e no fim ele sempre continua um enigma. Até que logo no começo de HP6 vem aquela porrada na boca do estômago! POR MERLIM! SNAPE É UM COMENSAL! EU SEMPRE SOUBE!

Daí vem HP7 e então nós compreendemos tudo.

HELY
4 de janeiro de 2011 às 16:58

EU FIQUE MUITO SURPRESA COM A HISTORIA DO PRINCIPE MAS SINCERAMENTE EU PERCEBI QUE TINHA UMA COISA ASSIM EU SEMPRE ACHEI ESTRANHO O SNAPE ODIAR HARRY SO PORQUE O PAI DE HARRY INPLICAVA COM ELE NA ADOLESCENCIA. HARRY FEZ PARTE DA MINHA INFANCIA TODINHA E NAO VAI MUDAR. MAS EU ACHO QUE A J.K.ROWLING PODIA ESCREVER O QUE ACONTECEU ENTRE QUANDO HARRY DERROTOU VOLDEMORT E QUANDO ELE TEVE SEUS FILHOS E SE CASOU COM A GINA.

Lu
7 de janeiro de 2011 às 17:41

Snape é a minha personagem favorita. O modo como Joanne o conduziu é fantástico. Ele mescla o lado obscuro do ser humano com o que pode haver de melhor em uma pessoa. Ele não é isento de falhas e defeitos, mas sua trajetória comprova como ele acabou optando pelo caminho correto. Em suma, Snape tem tem dentro de si os conflitos que as pessoas normais tem. É uma personagem real.

A sua relação com Harry é tão conflituosa quanto sua própria personalidade. Ao olhar para O-Menino-Que-Sobreviveu, ele vê os olhos da amada no rosto do adversário Thiago. Harry o atrai e o repele ao mesmo tempo. É o único pedacinho vivo que restou de Lílian, mas é também o fruto da união entre ela e Thiago. E Snape camufla todo esse conflito com o aparente desprezo pelo garoto, embora deseje tanto o seu bem.

Viva Severo! Viva Joanne!