Potter Heaven

Jessie Cave fala sobre Enigma do Príncipe

Harry Potter e o Enigma do Príncipe, Jessie Cave

Entrevistada pelo jornal LA Times, a atriz Jessie Cave falou ao blog Hero Complex sobre como conseguiu o papel de Lilá Brown, a relação entre sua personagem e Hermione Granger, o que acha dos livros, e muito mais!

“Eu li Enigma do Príncipe antes de ter qualquer conhecimento sobre os testes. Então já ter lido sobre o personagem foi muito bom. Além disso, meus irmãos e irmãs mais novos ficaram tão animados e orgulhosos. Foi um impacto muito positivo na vida deles, e sou realmente muito grata por isso.”

Leia a tradução na íntegra logo abaixo.
 

Jessie Cave em entrevista ao LA Times

Tradução por Bruno Maranhão | Potter Heaven

Para o seu teste final, qual cena você teve de fazer com o Rupert?
Nós tivemos que improvisar por uns 15 ou 20 minutos, o que é realmente assustador. É muito tempo. O diretor, David Yates, estava lá, ele chegou e disse: ‘Olá, certo Jessie, aqui está um prato cheio de biscoitos de chocolate, faça o que quiser com eles.’ Rupert estava sentado no sofá, e eu pensei ‘Meu Deus, o que eu vou fazer com esse prato de biscoitos.’

O que você acabou fazendo?
Eu pensei: ‘Vou lá’. E acho que Rupert estava um pouco assustado, na verdade. Os biscoitos estavam atrás do sofá, longe de mim, então eu meio que me joguei para o Rupert e deixei claro que não estava ligando para os biscoitos. Só queria estar perto dele. “Acho que ele estava um pouco assustado”.

Ah! Ele provavelmente devia estar atuando também, certo?
Não, ele estava assustado de verdade [risos]. Acho que ele se assusta fácil. Mas ele foi adorável e nós acabamos dando boas risadas.

Ele estava menos assustado quando vocês começaram a filmar?
Ele foi bem tranqüilo de lidar. Ele não foi cheio de ego e coisas assim, só um cara normal. Foi fácil me tornar amiga dele, o que honestamente eu não achei que iria acontecer. Eu vejo as estrelas de Harry Potter desde pequena e eu não achei que eles fossem tão normais assim, é estranho.

Você se lembra do seu primeiro dia nos sets de filmagem?
Foi agradável, eu filmei por seis meses, mas me lembro que no terceiro dia foi a cena do grande beijo. Eu pensava: ‘Porque tão cedo?’ Isso foi bom porque a ansiedade acabou ajudando na cena. O set estava lotado de figurantes, acho que uns setenta, e tudo podia ter dado errado. O primeiro dia foi meio que um preparo para a cena do beijo.

Se eu me lembro bem, Lilá é quem manda na relação.
Sim, ela é incrivelmente dominadora com Rony. Ela quer estar perto dele o tempo todo e é ela quem começa tudo. Ela é uma dessas garotas  bonitas e óbvias, mas que não percebe como está sendo julgada pelos outros. E acho que isso é bem fofo de uma certa maneira porque ela não tem muita noção de limites [risadas]. Ela passa por cima deles. É por isso que ela irrita Hermione tanto.

Ela é realmente insistente.
Ela é quase o catalisador que faz com que Rony e Hermione fiquem juntos no último capítulo da saga, de verdade. Sem Lilá, eles não teriam sido forçados a ficar juntos, não teriam tão abruptamente tomado conhecimento de seus sentimentos porque foi ela quem causou isso.

Como você se sentiu por interpretar alguém que todos sabem que não tem uma chance?
Bom, ela tem sim! Ela tem muitas chances. Ela namorou com ele e colou suas garras nele por um tempo. Não garras – ela é adorável. Ela consegue o que quer por um tempo, mas infelizmente as coisas não terminam do jeito que ela queria.

Como Lilá foi introduzida?
Ela estava na loja Gemialidades Weasley e estava meio que lançando olhares para Rony. Ela estudou com eles por anos, então ela está tentando mostrar que está interessada.

Você já era fã de “Harry Potter” quando fez o teste para o papel?
Sim, claro! Eu sou um dos cinco filhos em minha família e nós todos lemos os livros em ritmos diferentes. Eu li “Enigma do Príncipe” antes de ter qualquer conhecimento sobre os testes. Então já ter lido sobre o personagem foi muito bom. Além disso, meus irmãos e irmãs mais novos ficaram tão animados e orgulhosos. Foi um impacto muito positivo na vida deles, e sou realmente muito grata por isso.

Algum deles já foi visitar o set com você?
Eu levei todos eles para o set, mas minha irmã mais nova, que tem onze anos, foi quem realmente ficou impressionada. Jim Broadbent e Daniel Radcliffe estavam lá. Eu a levei à sala de aula de Poções e, sem que ela visse, sinalizei para Daniel acenar para ela. E Daniel acenou e ela achou que ele tinha feito isso sem nenhum motivo e ela ficou extasiada, completamente chocada. Ela quase desmaiou quando viu Emma [Watson] no corredor. É tão bizarro realmente conhecê-los porque, sabe, eles estão em pôsteres em tudo que é lugar. É tão estranho. Minha irmã tem adesivos deles e daí ela acaba conhecendo-os? Na verdade, há um novo adesivo em que eu apareço, então agora ela tem adesivos de mim. É tão fofo. Não consigo acreditar que sou um adesivo.

O que tem de melhor em fazer parte de um filme de “Harry Potter”?
Apenas estar lá todos os dias foi esplêndido. Estou tão feliz com isso. Eu tive algumas cenas com Michael Gambon, e na cena do hospital eu conheci toda a realeza de atores britânicos. Estava tão assustada que não falei nada. Estar no mesmo aposento que eles é bem avassalador. Alguém atrás de mim disse, “Você está perto de três ganhadores do Oscar e um BAFTA,” alguma coisa do tipo. É, isso tornou as coisas mais fáceis para mim [risadas]. Foi a melhor coisa.

Bruno Longbottom
está na Potter Heaven há cinco anos, e hoje é editor do site. Corvinal, Jornalista, Cinéfilo apaixonado, não vê testralhos e não sabe voar de vassoura. No twitter, é o @bmaranhas.

Comentários

Um comentário

Jorge Leberg
26 de junho de 2009 às 13:15

Ando meio retardatário em termos de HP atualmente, tanta coisa pra escrever na Net e a faculdade me fechando o cerco… Ainda não tinha conhecimento dessa entrevista. Gostei, acho até que ela é mais original que o Dan na hora de tentar soltar uma piada ou algo engraçado, até falar de si mesma sem formalidades. O Dan sempre derrapa em algumas coisas, fala bobagem ou esbarra no politicamente correto seboso. Achei muito resenha a tirada do adesivo, deve ser mesmo meio hilariante meio inusitado descobrir-se num adesivo ou num pôster comprado pela própria irmã.