Potter Heaven

Sibila Trelawney

Cras mattis consectetur purus sit amet fermentum.

Em Harry Potter e Prisioneiro de Azkaban fomos apresentados uma professora de Adivinhação muito magra, de óculos que aumentavam seus olhos várias vezes, vestia um xale diáfano, salpicado de lantejoulas e usava inúmeras correntes e colares de contas em volta do pescoço, além de ter os braços e mãos cobertos de pulseiras e anéis.

Sibila Trelawney era tri neta da famosa vidente Cassandra Trelawney e sempre pareceu uma charlatã que não predizia nada além de canecas quebradas e agouros de morte para Harry.

Nem mesmo o diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Alvo Dumbledore, parecia acreditar na professora, o que levou os fãs a se perguntarem porque ela foi colocada no cargo.

Em uma entrevista, J. K. Rowling afirmou que Sibila adivinhou uma coisa certa além daquela que Harry presenciou, que dizia que o servo de Voldemort se reuniria a ele.

E a explicação veio em Harry Potter e a Ordem da Fênix, onde descobrimos que, se não fosse por Sibila, as vidas de Harry e Voldemort poderiam ser bem diferentes do relatado nos livros.

Sim, ainda no terceiro livro descobrimos que ela possuía o mesmo dom de Cassandra, mas isso ainda não justificava o porque de Dumbledore deixá-la no cargo por 14 anos.

Aliás, quatorze anos é uma data curiosa, não é? Poderia ser uma mera coincidência o fato da professora entrar para Hogwarts justamente no ano que Harry nasceu, não poderia?

Poderia, mas não era. Sibila conseguiu o cargo simplesmente porque fez uma outra profecia verdadeira, onde afirmava que a única pessoa capaz de destruir Voldemort nasceria no fim de julho daquele mesmo ano.

E um registro dessa profecia, que foi contada a Dumbledore na noite em que Sibila fazia a entrevista para conseguir o cargo, foi parar no Departamento de Mistérios do Ministério da Magia inglês.

Voldemort, que só soube do começo da profecia, tentou fazer com que seus comensais, no quinto ano de Harry na escola, roubassem-na para descobrir como matar o garoto-que-sobreviveu. O que muita gente não sabia, é que só as pessoas diretamente ligadas à profecia poderiam tirá-la do Ministério.

Dumbledore certamente sabia disso, e, para tentar proteger Sibila – e conseqüentemente, Harry – colocou-a em Hogwarts, o único lugar realmente seguro contra Voldemort.

E por lá ela viveu durante dezesseis anos, com o diretor de olhos bem abertos em cima dela para evitar que algum comensal a pegasse e tentasse extrair maiores dados sobre a profecia.

Foi aí que Dolores Umbridge tentou expulsar Sibila de Hogwarts, afirmando que não passava de uma grande charlatã que não sabia fazer profecias. Dumbledore, irritado, colocou o centauro Firenze no lugar dela na função de professor de Adivinhação, mas ainda assim, não deixou que a mulher fosse embora de Hogwarts.

Sibila foi responsável por muitas gargalhadas e acessos de raivas dos fãs da série, tanto nos livros, quanto nos filmes, onde foi majestosamente interpretada por Emma Thompson.

Ela foi a primeira professora que conseguiu o feito de incrível de ser alvo de fúria de Hermione, que chegou a chamá-la de Morcega Velha e fazer com que a aluna abandonasse suas aulas. Além disso, sempre pareceu ter uma paixão pelas tragédias, dando nota máxima a quem entregasse seu dever de casa dizendo que morreria por decapitação no final do mês.

Talvez por pura coincidência, ou sorte, em sua primeira aula para Harry, a professora proferiu algumas coisas certas e ganhou a admiração de Parvati Patil e Lilá Brown. Disse que Neville iria quebrar sua primeira caneca na aula e lhe pediu que pegasse uma azul, porque gostava demais das cor-de-rosa. Também afirmou que o que Lilá temia iria acontecer na sexta-feira, dezesseis de outubro, e não deu outra: seu coelho morreu, apesar de Hermione afirmar que Lilá só recebeu a notícia nesse dia, e que o animal poderia ter morrido em outro dia, além de perguntar se o que a garota temia era que ele morresse comido por uma raposa mesmo.

Ainda nessa aula, Sibila disse que alguém deixaria o convívio com eles para sempre na altura da Páscoa, o que de fato aconteceu quando Hermione abandonou a classe de Adivinhação. Além disso, pediu para Parvati tomar cuidado com um homem de cabelos ruivos, fazendo a garota ganhar verdadeiro pânico de Rony, e avisou os alunos de uma epidemia de gripe em fevereiro, onde ela própria perderia a voz. Também foi nesse dia que a professora previu a morte de Harry pela primeira vez, num bule de chá onde afirmava que havia um sinistro (o pior dos agouros de morte).

Aliás, Sibila insistiu em todas as suas aulas, até a Ordem da Fênix, que o garoto teria uma morte terrível ainda jovem. Só que, para a surpresa de todos, no quinto ano de Harry na escola, só para irritar a Alta Inquisidora Umbridge, ela previu, em alto e bom tom, que Harry teria uma vida longa e morreria velho e feliz.

Foi ao final do exame de Harry em seu terceiro ano que Sibila nos mostrou que era uma vidente verdadeira com a seguinte profecia com os olhos começando a girar e a voz rouca.:

“Vai acontecer hoje à noite. O Lord das Trevas está sozinho e sem amigos, abandonado pelos seus seguidores. Seu servo esteve acorrentado nos últimos doze anos. Hoje à noite, antes da meia noite… O servo vai se libertar e se juntar ao seu mestre. O Lord das Trevas vai ressurgir, com a ajuda do seu servo, maior e mais terrível que nunca. Hoje à noite… o servo… vai se juntar… ao seu mestre…”

Será que algum dia essa profecia irá aparecer no Departamento de Mistérios? O importante é que Sibila se mostrou uma personagem sensível, dramática e divertida ao mesmo tempo, que veio para amenizar um pouco o clima tenso dos livros. Teremos de esperar pelos próximos livros para saber se ela voltará a dar aulas e voltará a prever algo. Enquanto isso, só resta a nós, meros mortais, tentar “olhar além”!