Potter Heaven

Bicho-papão

Cras mattis consectetur purus sit amet fermentum.

Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Remo Lupin resolveu apresentar a seus alunos, em uma de suas aulas de Defesa Contra as Artes das Trevas, uma criatura que nos faz relembrar de nossos piores temores. Não, não estou falando do dementador, mas sim do bicho-papão.

Nenhuma pessoa sabe ao certo como é um bicho-papão, uma vez que se trata de uma criatura transformista, que assume a forma do que mais tememos.

A primeira pessoa a enfrentar um bicho-papão em aula foi Neville Longbottom, que teve que encarar o professor Severo Snape olhando-o ameaçadoramente.

Para confundir o bicho-papão, Lupin pediu para Neville se concentrar nas roupas de sua avó e gritar “Ridikkulus!“. Então, o professor ganhou as roupas da avó do garoto e a sala inteira explodiu em risadas.

O bicho papão ficou sem entender e Lupin pediu que os alunos fizessem uma fila e se adiantassem para a frente da criatura.

Quando Harry ia encarar o bicho-papão, Lupin colocou-se na frente dele e a criatura assumiu a forma de lua cheia e ao feitiço do professor, transformou-se numa barata. Neville voltou à frente e o bicho-papão explodiu, confuso.

Mais à frente, ainda em O Prisioneiro de Akzaban, Lupin conta a Harry que não o deixou enfrentar o bicho papão com medo de que ele assumisse a forma de Lord Voldemort. Harry, então, revelou que o que mais temia na vida eram os dementadores. Esse fato ajudou no treinamento do Patrono.

Nos exames finais de Defesa Contra as Artes das Trevas daquele ano, os alunos tiveram que encarar bichos-papão, e descobrimos que o que Hermione mais temia era ser reprovada pela professora Minerva McGonagall:

Hermione fez tudo perfeitamente até chegar ao tronco em que havia no bicho-papão. Depois de passar um minutos ali, a garota saiu correndo aos berros.

– Hermione! ― exclamou Lupin, assustado. ― Que foi que aconteceu!

– A P… P… Profª McGonagall! ― ofegou Hermione apontando para o tronco. ― Ela disse que eu levei bomba em tudo!

Já em Harry Potter e a Ordem da Fênix, descobrimos o que mais apavora a mãe de Rony, Molly Weasley:

Alguém estava encolhido contra a parede escura, a varinha na mão, todo o corpo sacudido por soluços. Esparramado no velho tapete empoeirado, em uma mancha de luar, visivelmente morto, encontrava-se Rony. (…)

Mas, espere um momento, não podia ser, Rony estava lá embaixo…

– Sra. Weasley? – chamou Harry com a voz embargada.

– R – r – riddikulus! ― soluçava a bruxa, apontando a varinha, trêmula, para o corpo do filho.

Craque.

O corpo de Rony se transformou no de Gui, de barriga para cima, braços e pernas abertos, olhos abertos e vidrados. A Sra. Weasley voltou a soluçar.

Craque.

O corpo do Sr. Weasley substituiu o de Gui, seus óculos tortos, um filete de sangue escorrendo pelo rosto.

– Não! ― gemia a Sra. Weasley. ― Não… riddikulus! Riddikulus! RIDDIKULUS!

Craque. Gêmeos mortos. Craque. Percy morto. Craque. Harry morto…

Ainda no 5° livro me surgiu uma dúvida: será Olho-Tonto Moody capaz de ver a forma verdadeira de um bicho-papão? A questão foi levantada quando ele olha através de um armário e constata que é mesmo um bicho-papão.

Nós sabemos que o bicho-papão é um transformista, que assume outras formas quando está frente a frente de sua “vítima”. Ora, se Olho-Tonto o observou através do armário, talvez não tenha mudado de forma.